Bem vindo ao blog da Cosmedical!

Categoria

Sportllux

Esclarecemos suas dúvidas sobre artrite reumatoide

A artrite reumatoide é uma doença autoimune de origem desconhecida e que se caracteriza pela deformidade e destruição das articulações que ocorrem em virtude de erosões ósseas e da cartilagem.

Cabe ressaltar que qualquer pessoas pode adquirir a artrite reumatoide, independentemente de sexo, porém a doença tem prevalência de até três vezes mais nas mulheres do que nos homens. Além disso, essa predisposição aumenta conforme a idade das pessoas avançam.

Um estudo feito em 2007 por pesquisadores dos serviços de Reumatologia da Faculdade de Ribeirão Preto, em que foram revisados 1381 prontuários de pacientes atendidos no estado de São Paulo entre os anos de 2002 e 2005 traçou um perfil das pessoas que mais são predispostas a desenvolverem a artrite reumatoide.

Os resultados dessa pesquisa apontaram que dos 1381 pacientes avaliados, 86% eram mulheres, caucasianas, tinham idades que variavam entre os 40 e os 50 anos, apresentavam quadros da doença a cerca de 7 anos e pesavam em média 65,6 Kg. Esse relevante estudo, feito por médicos pesquisadores, demonstra como as mulheres são mais propensas a desenvolver a artrite reumatoide e é por isso que precisam ter cuidados especiais.

Agora que você já sabe o que é a artrite reumatoide, deve estar se perguntando quais são os sintomas dessa doença e as possibilidades de tratamento para combatê-la, não é mesmo? Então continue a leitura e, a seguir, confira todas essas importantes informações.

 

Quais são os sintomas da artrite reumatoide?

Quais são os sintomas da artrite reumatoide?

Quando falamos em sintomas da artrite reumatoide é importante salientar que eles podem aparecer tanto separadamente como juntos. Por isso, caso você suspeite que tem essa doença, é recomendado que procure o auxílio médico. Apenas com o suporte profissional e por meio de exames é possível identificar a doença corretamente e assim fazer o tratamento adequado.

Os principais sintomas da artrite reumatoide são os listados na sequência. Veja e identifique se você apresenta algum deles.

  • rigidez matinal: ao acordar, geralmente há rigidez nas juntas e articulações, que podem durar por até cerca de uma hora;
  • artrite em três  áreas ou mais: a artrite reumatoide geralmente não se apresenta de maneira solitária. Ou seja, a pessoa que tem essa doença apresenta artrite em pelo menos três áreas articulares com edemas de partes moles. Também pode ocorrer, nesse sentido, um derrame articular;
  • artrite nas mãos e partes próximas: um dos primeiros locais em que a artrite reumatoide se desenvolve é nas mãos e áreas próximas como os punhos, interfalangeanas proximais e n metacarpofalageanas;
  • desenvolvimento de uma artrite simétrica: ou seja, aquela que acomete ao mesmo tempo duas articulações irmãs como os dois joelhos, os dois tornozelos, os dois punhos etc;
  • presença de nódulo reumatoides: surgimento de caroços que podem se desenvolver em várias partes do corpo, juntamente com a ocorrência da artrite. Esses nódulos tem um tamanho que pode variar entre 2 mm e 5 mm e costumam se desenvolver, geralmente, em áreas próximas às articulações;
  • fator reumatoide sérico: o fator reumatoide é mensurado por meio de um exame de sangue. Essa taxa é normal quanto vai até a quantidade 1:20. Pessoas com um fator reumatoide sérico, ou seja, acima de 1:20, podem ter essa doença, bem como outras como lúpus, vasculite, tuberculose, malária, sífilis, entre outras;
  • alterações radiográficas: quando é feito o exame de raio X e o médico identifica erosões ou descalcificações localizadas nas mãos e nos punhos, também pode ser um indício de artrite reumatoide.

Sempre que você apresentar pelo menos quatro desses sintomas apresentados, por pelo menos seis semanas, significa que você pode estar em um quadro de artrite reumatoide. Tal informação tem como base um estudo desenvolvido por cientistas da Unicamp, publicado na revista Brasil Remautologia.

Essa mesma pesquisa concluiu que os pacientes com dois ou três critérios não são excluídos de desenvolverem a artrite reumatoide no futuro, por isso a importância de buscar auxílio médico mesmo que apresente menos de quatro desses sintomas.

A avaliação inicial feita pelos médicos reumatologistas para identificar a artrite reumatoide leva em consideração exames físicos completos do paciente, bem como os seus relatos da ocorrência dos sintomas anteriormente descritos.

Alguns exames também necessitam ser feitos para diagnosticar esse problema. Conheça mais sobre alguns deles:

Exame de sangue

O exame de sangue serve para mensurar o nível do fator reumatoide, conforme anteriormente citado. A ideia é que seja identificada a presença desse componente nos sangue, bem como o anticorpo antipeptídeo citrulinado cíclico, que geralmente é visto em pacientes com essa doença.

A Velocidade de Hemossedimentação (VHS) e a proteína C Ativa, quando presentes no sangue, também podem indicar que existem inflamações no corpo, entre elas a artrite reumatoide.

Exames por imagem

Os exames por imagem utilizados para identificar os sintomas da artrite reumatoide são o raio X e a ressonância magnética. Ambos servem para que se possa fazer uma análise mais profunda do estado das articulações, o aparecimento de erosões, descalcificações, deformidades etc.

Artrocentese

Esse é o exame mais invasivo e incômodo de ser realizado, porém é necessário em alguns casos em que a doença não é identificada logo nos exames mais simples. Trata-se da coleta do líquido sinovial de uma das articulações inflamadas. Assim, é feita uma análise da composição desse líquido para descartar outras causas e confirmar que se trata de uma artrite reumatoide.

Apenas após essa avaliação minuciosa, os médicos poderão propor um tratamento adequado para amenizar os problemas ocasionados em decorrência dessa doença.

Para que você saiba quais são esses tratamentos e como fazê-los, explicamos os principais deles, na seção seguinte desse artigo. Siga conosco e confira agora mesmo.

Quais são os tratamentos para artrite reumatoide ?

Quais são os tratamentos para a artrite reumatoide?

Existem diversos tratamentos que podem ser utilizados para reduzir as dores e incômodos causados pela artrite reumatoide. Eles variam desde os mais tradicionais e comuns, até outros mais alternativos ou modernos.

Cabe lembrar que a artrite reumatoide, principalmente em pessoas idosas, pode causar redução na mobilidade e por isso, muitas vezes, os tratamentos que exigem a prática de esforços físicos devem ser acompanhadas de profissionais como fisioterapeutas ou educadores físicos.

Vamos comentar sobre cada um desses tratamentos, com mais detalhes, na sequência.

Fisioterapia

A fisioterapia é um dos principais tratamentos para a artrite reumatoide, pois os exercícios funcionais, como o pilates e os alongamentos podem prevenir na perda da mobilidade e aliviar as dores causadas por isso.

Os exercícios de alongamento também evitam que os tendões sofram encurtamentos por conta da inatividade, o que ajuda a manter a funcionalidade nas articulações que sofrem deformações por conta da doença.

Tratamento medicamentoso

Os médicos também podem receitar medicamentos para aliviar as dores e diminuir as inflamações ocasionadas pela artrite reumatoide. Nesse caso, existem quatro classes de remédios que podem ser utilizados no tratamento.

Ressaltamos aqui a importância de somente utilizar esses medicamentos com orientação médica. Jamais se automedique, pois você poderá desenvolver outros problemas graves em sua saúde, caso o uso dos remédios não tenha acompanhamento profissional.

As classes de medicamentos que podem ser utilizados no tratamento da artrite reumatoide são as seguintes:

Anti-inflamatórios não esteroides (AINES)

Tratam-se de medicamentos como o Ibuprofeno e o Naproxeno, que servem como paliativos e podem diminuir as dores causadas pelas inflamações.

O seu uso é recomendado por no máximo quatro semanas, pois se for usado mais vezes do que isso, poderá ter uma diminuição do efeito, além de causar outros efeitos colaterais.

Corticoides

Assim como a classe dos  AINES, os medicamentos do tipo corticoide não previnem as deformidades causadas pela artrite reumatoide e servem apenas como paliativos para tratamentos rápidos no início da ocorrência dos sintomas da doença.

A prednisona é a substância mais utilizada, geralmente em conjunto com medicamentos anti-inflamatórios, conforme indicação do médico e do farmacêutico.

Drogas anti-reumáticos modificadoras da doença (DMARDs)

Ao contrário das categorias citadas anteriormente, as DMARDs diminuem os processos inflamatórios, impedindo que as deformações oriundas da doença tomem maior proporção e progressão.

Apesar disso, esses medicamentos são imunossupressores, ou seja, geram um enfraquecimento no sistema imunológico, o que pode fazer com que outras doenças, principalmente de origem viral ou bacteriana, sejam adquiridas. Os efeitos também demoram para ser sentidos, ocorrendo apenas depois de  meses de uso.

Exemplos desse tipo de drogas são a penicilamina, a hidroxicloroquina, o metotrexato, a ciclosporina, a sulfassaliazina, a azatioprina, a leflunomida, entre outros.

Modificadores da resposta biológica

Esses medicamento são mais modernos que os demais e têm origem na biotecnologia. Eles possuem um efeito imunossupressor muito forte, porém, o que pode ocasionar em efeitos colaterais mais graves.

Por serem muito fortes e causarem bastante desconforto e mal estar no paciente, esse tipo de remédio só é utilizado em casos mais avançados da doença, quando outros tratamentos já não respondem como o esperado.

A etanercepte, a infliximabe, a adalimumabe, a anakinra, a abatacepte e a rituximabe são algumas dessas drogas modificadoras da resposta biológica, que sob nenhuma hipótese podem ser utilizadas sem o devido acompanhamento profissional.

Cirurgias

Em alguns casos, quando o uso de medicamentos e outros tipos de tratamento já não são suficientes para combater a artrite reumatoide, o médico pode sugerir que sejam feitas cirurgias para corrigir os danos causados às articulações.

São exemplos desses procedimentos cirúrgicos:

Sinovectomia

Trata-se de um procedimento em que toda a parte inflamada da membrana sinovial é retirada, com o objetivo de evitar danos à cartilagem. Essa cirurgia pode ser feita em artroses nos joelhos, nos quadris, nos dedos e nos pulsos.

Artrodese

Essa cirurgia é indicada apenas para os casos muito graves da artrite reumatoide. Ela é consiste na fusão de dois ossos, eliminando permanentemente as articulações que inflamam. Trata-se de uma medida bastante radical e que pode ter um processo de recuperação lento e doloroso.

Reparação dos tendões

Um dos principais danos causados pela artrite reumatoide são as inflamações nos tendões. Por isso, essa cirurgia tem como objetivo reparar as partes danificadas para que os movimentos sejam readquiridos.

Artroplastia total

Nessa cirurgia, todas as partes danificadas das articulações são retiradas e substituídas por próteses de metal ou plástico. As próteses são bastante duradouras e podem permanecer sendo usadas pelo paciente por até 20 anos, sem ser necessário fazer trocas.

Apesar disso, existem riscos na cirurgia, como a rejeição da prótese pelo organismos, causando fortes dores no local e a necessidade de retirar os itens postiços do corpo.

Terapias alternativas

Embora não exista um aprofundamento científico que comprove o funcionamento de terapias alternativas, muitas pessoas e profissionais praticantes da medicina alternativa relatam que alguns desses tratamentos são altamente eficazes no combate à artrite reumatoide.

Porém, vale lembrar, que os tratamentos medicamentosos ou de fisioterapia indicados pelo médico jamais devem ser substituídos por terapias alternativas. O que pode ser feito é uma união das duas práticas, mas nunca a substituição de uma pela outra.

Um exemplo de terapia alternativa para a cura de inflamações é o uso de suplemtnos com base de óleo de peixe. Tratam-se de substâncias ricas em ácidos graxos, que contribuem para a redução da dor e da rigidez.

Massagens também podem ser vistas como terapias alternativas, fazendo o uso de óleos de plantas de sementes diversas, como a borragem e o cassis. Existem também medicamentos naturais feitos com base nesses óleos de plantas.

Fotobiomodulação

A fotobiomodulação, também conhecida como Low-Level Light Therapy (LLLT) é um tratamento moderno, inovador e que pode ser um aliado no combate às inflamações causadas pela artrite reumatoide.

Por meio de um equipamento apropriado e que pode ser adquirido facilmente e a preço acessível para uso doméstico, é emitida uma luz radiante, composta por vários comprimentos de onda. Essas ondas geram diversos benefícios para os tecidos biológicos, podendo amenizar as dores e diminuir as inflamações causadas pela artrite reumatoide.

A artrite reumatoide possuí cura ?

A artrite reumatoide possui cura?

Muito embora existam diversos tratamentos para amenizar as inflamações e as dores causadas pela artrite reumatoide, essa doença não possui cura. Por isso, é preciso aprender a conviver com ela e nunca deixar de fazer tratamentos como a fisioterapia, as terapias alternativas e o LLLT. Já o uso de medicamentos também pode ser feito, porém sempre com orientação médica.

Como a artrite reumatoide não possui cura e é preciso aprender a conviver com ela, listamos algumas dicas para que você saiba como conviver com essa doença:

Busque apoio psicológico

Se você perceber que está muito triste por conta dos problemas causados pela artrite reumatoide, como a diminuição da movimentação, por exemplo, pode estar desenvolvendo também um quadro de depressão. Nesse caso, o acompanhamento de um psicólogo ou psiquiatra é demasiadamente importante.

Tenha uma alimentação adequada

Embora não exista uma dieta específica para pessoas com artrite reumatoide, comer adequadamente e seguir um cardápio balanceado, com alimentos saudáveis auxilia na estabilização do peso e a diminuição das dores nas articulações.

Faça compressas nas articulações

Quando você estiver com muitas dores nas articulações, uma boa dica é fazer compressas com água quente ou gelada no local.

Conheça os seus limites

Você deve saber até onde consegue chegar em cada situação. Jamais faça exercícios físicos ou movimentos que julgar bruscos, por exemplo. Afinal, você se conhece melhor do que ninguém e sabe quais são as suas limitações.

Conseguimos esclarecer as suas dúvidas sobre a artrite reumatoide? Esperamos que sim e que você possa ter ficado mais bem informado sobre esse assunto tão importante para a saúde das pessoas, principalmente para as mulheres e idosos.

E não esqueça que estamos aqui para ajudá-lo e que para qualquer dúvida que tiver, não precisa deixar de fazer contato conosco. Para nós é um prazer e uma satisfação contribuir para o desenvolvimento da sua saúde e bem estar.