Cosmedical

O segredo para reverter a Queda Capilar

O segredo para reverter a Queda Capilar

Conheça as principais causas da queda capilar e quais tratamentos são indicados para auxiliar na resolução deste problema.

A queda capilar atinge uma grande quantidade de  homens e é inevitável não se preocupar quando as entradas começam a ficar mais aparentes, o cabelo mais ralo e muitas vezes com falhas visíveis.

A aparência muda e junto com ela surgem vários empecilhos que acabam por atrapalhar o dia a dia de quem está com os fios comprometidos, como os relacionamentos interpessoais, a própria imagem e a autoestima.

Normalmente perdemos em torno de 100 fios de cabelo por dia. Porém como muitos homens mantém o cabelo curto fica mais difícil de perceber quando esta queda está acima da quantidade considerada ‘normal’.

A calvície no homem começa a ser perceptível após a perda de cerca de 50% dos fios. Nesta fase, o paciente passa a se preocupar com a queda de cabelo,  aumentando o seu  interesse por visitações aos dermatologistas e buscas por diversos tipos de tratamentos.

Na fase inicial da queda, ainda não é necessário se preocupar, pois trata-se do ciclo de crescimento do folículo, estabilidade e queda temporária. Esta queda temporária é gradual e pode ser revertida com o tratamento correto.

Se a queda for maior que a média de 100 fios diários, pode ser um sinal de alerta. Nestes casos, recomenda-se procurar um especialista, geralmente um  médico dermatologista com foco na área capilar, que irá propor o melhor tratamento para o seu caso.

O que causa a queda de cabelo excessiva?

O que causa a queda de cabelo excessiva?

 

É considerada queda de cabelo excessiva aquela que passa dos 100 fios diários. Ela pode ser ocasionada por diversos fatores que vão desde a genética ou má alimentação até estresse ou doenças mais sérias.

Por ter diversas causas, o mais aconselhado ao se perceber a queda é conversar com um especialista. Há médicos especializados no assunto capilar, como no caso de alguns médicos dermatologistas e tricologistas.

Fases do cabelo

Fases do cabelo (queda normal)

 

Anágena

Esta é a fase de crescimento do cabelo. Ela pode durar de 2 à 7 anos e é onde o folículo capilar recebe os nutrientes necessários para um crescimento saudável.

 

Catágena

Esta é a fase de repouso do cabelo. Nesta fase, o folículo se prepara para entrar em descanso e o crescimento do cabelo é interrompido.  Pode durar, em média, até 4 semanas.

 

Telógena

Esta é a fase de eliminação dos fios. É a última fase do ciclo capilar. Nela o fio cai naturalmente ou é empurrado por outro que está crescendo. Sua duração é em média de até 3 meses.

 

Doenças

 

Quando a queda capilar está anormal pode ser um sintoma de que algo em seu organismo não vai bem. O corpo geralmente tenta suprir suas necessidades básicas e apenas depois passa a nutrir os cabelos e unhas. Se os cabelos começarem a cair ou perderem o brilho, geralmente se deve a alguma doença associada. Confira alguns casos neste post: AQUI!

Queda de cabelo por estresse

Queda de cabelo por estresse

 

A queda de cabelo proveniente de estresse pode ser causada por vários motivos, e eles variam muito de pessoa para pessoa. Períodos de intenso estresse podem causar uma queda de fios de forma temporária, chamada de eflúvio.

Independente do que motivou o estresse, o organismo aumenta a produção de uma substância que bloqueia a entrada de nutrientes na região do couro cabeludo e isso, a longo prazo, pode enfraquecer os fios e levar a queda.

 

Queda de cabelo excessiva, como tratar:

 

Existem vários tratamentos para a queda de cabelo na internet, porém devemos lembrar que existem tipos diferentes de queda e que para cada tipo de queda há um tratamento diferente. NESTE POST você pode conhecê-los.

Tratamentos aprovados pela ANVISA

Tratamentos aprovados pela ANVISA

 

A ANVISA é o órgão brasileiro que aprova os tratamentos médicos antes dos mesmos serem disponibilizados para os pacientes. O tratamento com luz de LED, também conhecido como LLLT (Low Level Light Therapy), é aprovado pela ANVISA, e pelo FDA, principalmente por não ter contraindicações nem efeitos colaterais.

Caso a alopécia androgenética seja diagnosticada com até 2 anos a partir do início da queda capilar, ela pode ser tratada exclusivamente com LLLT.

Há outros dois tratamentos aprovados pela ANVISA: o uso oral da finasterida e o uso tópico do minoxidil. O grande problema desses tratamentos são os efeitos colaterais em homens. O minoxidil, por exemplo, deixa a aparência do cabelo bem desagradável e a finasterida pode causar danos irreversíveis, como a impotência sexual.

 

Consulte seu médico

 

Nem sempre as “receitas caseiras” que achamos na internet já foram testadas e como já aprendemos ao longo do texto os tratamentos variam com o tipo de queda. Não se exponha a tratamentos sem prescrição médica, isso pode piorar o seu quadro clínico e muitas vezes pode ser algo irreversível. Em caso de queda capilar, consulte um médico dermatologista de confiança.

O cabelo em queda pode estar sofrendo com a falta de nutrientes, e essa deficiência pode ser o sinal para alguma doença mais grave. Por sorte, nem sempre temos outros sintomas e muitas vezes temos histórico de calvície na família, o que indica a Alopécia Androgenética.

O tratamento domiciliar com o uso do LED pode ser feito por qualquer pessoa pois não apresenta contraindicações. Essa luz emitida pelos LEDs atua diretamente na mitocôndria da célula, produzindo mais energia e, consequentemente, fazendo com que os fios de cabelo cresçam mais rápido, fortes e saudáveis.

A luz de LED é um tratamento inovador que pode, em muitos casos, substituir ou ser complementar aos tratamentos oral e tópico.

Esse tratamento inovador será muito mais agradável, principalmente para os homens, pois o LED não possui efeitos colaterais e pode ser utilizado tanto no tratamento de queda quanto na manutenção dos fios, trazendo um efeito mais duradouro e tornando o tratamento mais saudável ao paciente.

Descubra como funciona um dispositivo de LED voltado para tratamento capilar: CLIQUE AQUI!

Leave a Comment